Felicidade

felicidade face

OSHO

Incensos

A palavra incenso vem do latim incensum, que significa incendiar ou atear fogo. E quando ateamos fogo em uma vareta de incenso, ela exala uma fumaça perfumada. A palavra perfume deriva do latim per fumum, que significa pela fumaça.

Um pouco da história sobre a origem do incenso – O homem, antes mesmo de dominar o fogo, travou conhecimento com os perfumes e incensos através de incêndios espontâneos que ocorreram em grandes florestas onde haviam árvores cujos troncos eram constituídos de madeira odorífica. E foi a partir daí, que o homem começou a prestar mais atenção na natureza, indo em busca de ervas e plantas aromáticas, e as mais variadas substâncias extraídas da terra, onde absorvem a energia solar, lunar e o próprio magnetismo planetário, que passam a fazer parte de todo o contexto energético, para a confecção do incenso. Por isso, os incensos são feitos de resinas, gomas aromáticas ou óleos essenciais. Algumas plantas mais utilizadas na confecção dos incensos são das famílias das estiracáceas, anacardiáceas, burseráceas e dentre outras.

Os incensos são usados há muito tempo por diversos povos como indianos, judeus, gregos, romanos, e por diversas classes sociais e culturais, independente de credos ou religiões.

Já no tempo das nossas avós, era comum a prática de queimar as folhas de palma ou ramos de oliveira para afastar as tempestades, segundo a crendice popular. Como também fazia, e ainda faz parte da cultura, as mulheres benzedeiras utilizar ramos de arruda para afastar as energias ruins das pessoas que as procuravam. Assim como no cristianismo utiliza-se da queima de mirra e benjoim em algumas práticas ritualísticas dentro de datas específicas.

O uso de ervas odoríficas em práticas de limpeza psíquica se faz necessário, pois quando se produz a sua queima, libera-se todos esses potenciais energéticos. Os incensos são usados como uma ferramenta para entrar em contato com os seres angelicais e, da mesma forma harmonizam, perfumam e elevam a energia do ambiente. Sendo assim, são utilizados para limpezas de energia dos ambientes, e também para facilitar a conexão com o mundo espiritual, bloqueando a ação nociva de qualquer força contrária a este contato.

Entretanto, mesmo sem querer, às vezes intencionamos acender um incenso apenas para perfumar o ambiente, com isso as forças energéticas da planta o qual ele foi confeccionado, e que está impregnada nestas substâncias aromáticas, vão agir independentemente da sua intenção, se é boa ou ruim. Como um fogo que não escolhe se vai queimar uma coisa boa ou ruim; simplesmente age utilizando a matéria comburente enquanto estiver a sua disposição. Por isso, ao acender um incenso, tenha em mente o seu objetivo, ou a sua intenção, seja uma prece, agradecimento, meditação, benção, consagração, purificação do ambiente, paz, amor, harmonia, etc.

Nas lojas existem muitas variedades de incensos. O importante é observar quando você vai comprar o seu incenso, pois no mercado existem vários tipos, sendo que alguns são confeccionados de material tóxico.

A dica é: Opte por incensos produzidos com essências e resinas naturais que podem despertar esta força do mundo espiritual e angelical. Os que são feitos de materiais sintéticos não têm o poder para fazer esta conexão, além de fazer mal a sua saúde devido a composição de ingredientes tóxicos, que podem causar dores de cabeça constantes, rinites, náuseas e até vômitos. Fique atento!

Dicas e sugestões na hora de comprar o seu incenso:

  • Pergunte sempre ao vendedor qual a sua procedência.
  • Desconfie de incensos muito baratos.
  • Os incensos naturais artesanais mais baratos, os valores giram em torno de R$ 4,00 reais a caixa, e os mais caros ficam em torno de 15,00 até 40,00 reais (a caixa), dependendo da sua marca ou procedência, e também varia de acordo com a quantidade de varetas que contém na embalagem.
  • No momento da compra, dê preferência a incensos naturais, feitos com essências e óleos 100% naturais, e há também os que contém essências florais. As varetas destes, são de cores claras e a sua fumaça também. O tempo de queima é de aproximadamente 1 hora.
  • Existem incensos naturais artesanais, onde as varetas são escuras, devido a pintura feita no momento de sua confecção com o objetivo de fixar as ervas na vareta e, com isso, ajudam a sua queima. Aqui as varetas podem se apresentar um pouco mais curtas e às vezes a composição de sua massa apresenta-se mais grossa e irregular, porém sua fumaça é leve, de cor clara e o seu aroma mais intenso e duradouro. O tempo de queima varia entre 1h a 2h.
  • Há também os incensos que são chamados de Massala, que são naturais. Eles também são fabricados à mão, enrolados no estilo tradicional um a um. Possuem em sua composição ervas raras, óleos essenciais, resina e halmadd (esta substancia que dá ao Nag Champa e muitos incensos seu bouquet único). A sua fumaça é mais leve, seu aroma mais intenso e duradouro. O tempo de queima é de aproximadamente 1 hora.

É necessário ter consciência de que casa limpa, não é somente limpar os espaços físicos: chão, janelas, portas, banheiros, etc; também é necessário proceder a limpeza da energia do ambiente. Por isso aí vai algumas dicas para uma melhor aplicação do incenso na sua casa:

  • Segure o incenso com a mão e percorra cada canto dos cômodos de sua casa. Você pode falar em voz alta ou não, o seu mantra, ou sua oração, ou a sua intenção, pois tudo o que é negativo está impregnado principalmente nos cantos e deve dissolver-se o mais rápido possível. Para preservar por mais tempo essa limpeza, procure manter sempre bons pensamentos e sentimentos. Encare o incenso como um primeiro socorro à sua casa, para a limpeza energética do ambiente, procurando queimar pelo menos um, todos os dias, pois assim manterá o ambiente sempre limpo, bem protegido e perfumado.
  • Se sentir necessidade, você pode acender um incenso para cada cômodo da sua casa.
  • Ao acender o incenso mentalize sempre uma intenção, uma oração ou um pedido.
  • Tenha sempre uma mente limpa de pensamentos negativos e um coração puro.
  • Tome cuidado com o que você irá pedir, pois como já dizia Jesus: “Pedi, e recebereis.”

 

Cláudia Adriana Bergamaschi – Terapeuta Floral e de Reiki – Equilíbrio Corpo e Mente.

Cartaz - divulgação

Meditação

Apresentação1

conjugar-verbos-online

Palavras de Sabedoria

De que forma você está utilizando as palavras no seu dia a dia? Acredito que talvez você nunca tenha parado para refletir sobre o poder das palavras, não é mesmo?!

Desde os primeiros anos de vida utilizamos a voz para a comunicação. Através dela é que nos conectamos com o mundo, indo de um lugar a outro, instantaneamente, através das palavras. Como quando falamos ao telefone com uma pessoa, que está em outra cidade.

Em nosso corpo a comunicação também é muito importante. Pois sem ela os impulsos elétricos, entre as células neurais e o tecido muscular, não existiriam e assim, não poderíamos nos mover. Se não existisse a comunicação bioquímica, entre as glândulas hormonais e as células dos nossos órgãos, não haveria crescimento nos jovens, ou instruções para mudanças cíclicas. Indo mais além, se não fosse à capacidade de armazenar e expressar informações no material genético (RNA/DNA), através da comunicação intracelular, dificilmente existiria a vida.

A civilização humana depende igualmente da comunicação, pois todos nós pertencemos a um sistema interligado de comunicação cultural. A nossa voz permite a comunicação entre as pessoas, e através das palavras transmitimos emoções e pensamentos para aqueles que nos cercam.

As palavras interferem na vida das pessoas que nos cercam, e possuem uma enorme importância nas nossas vidas. Entretanto, se usarmos as palavras de uma forma descuidada, atrairemos situações desagradáveis. Por isso, é importante estarmos atentos à maneira que utilizamos as palavras e nos comunicamos no dia a dia. Cada vez que expressamos, atingimos um alvo, um receptor. Exteriorizamos sentimentos através das palavras, as quais podem ser utilizadas para provocar diferentes efeitos no receptor: de ajudar, ferir, criar harmonia, união ou intrigas. As palavras são como sementes. Boas sementes dão bons frutos, do contrário não germinarão.

Os índios nativos americanos já diziam: “escolha suas palavras com cuidado, pois é através delas que você cria sua realidade”. Mesmo sabendo o que queremos dizer, muitas vezes modificamos, preferindo satisfazer os outros, com medo ou receio do que eles irão pensar, ou dizer.

Desta forma temos a oportunidade de expressar tudo o que somos, para sermos os arquitetos da nossa própria vida. Mudanças requerem coragem. Coragem de renunciar a um costume antigo, que nos condiciona a falar palavras em vão. A dica é: mude e crie a sua própria realidade, através da palavra. Fale coisas boas, consistentes. Seja grato pela sua vida. Quando precisar falar algo a alguém, mesmo sabendo que vai magoar, peça licença, e fale da melhor forma, no melhor momento, e para o bem de todos.

Gratidão!

Cláudia Adriana Bergamaschi – Terapeuta Floral e de Reiki.

flores-frutos

Quando se fala em flores emana subitamente em nosso pensamento um belo e florido jardim. Desde muito tempo usamos as flores para embelezar nossa casa, nosso ambiente de trabalho ou como forma de prestar homenagem às pessoas queridas. No mundo agitado em que vivemos, às vezes esquecemos o quanto faz bem ao coração dar ou receber uma flor de presente, pois elas têm o poder de harmonizar nossas emoções.

São tantas variedades, tantos aromas. Você já parou para pensar? Talvez se lembre do aroma da sua flor preferida, ou até mesmo já tenha tido a vontade de beber um elixir feito à base de flores. Saiba que isso é possível, pois existem elixires chamados essências florais, com o poder de harmonizar, potencializar ou minimizar as dores do coração e da alma.

Para que você entenda como isso é possível vamos conhecer um pouquinho da história de como foram descobertas as essências florais. Há cerca de 3.000 anos a.C., os egípcios utilizavam a gota de orvalho para curar desequilíbrios emocionais. Por volta do ano de 1.500 d.C., Paracelso usava as gotas de orvalho para tratar as mesmas desarmonias. Com o passar do tempo, em setembro de 1.886 d.C., nasceu na Inglaterra Edward Bach, onde anos mais tarde formou-se na Faculdade de Medicina de Birmingham, especializando-se em bacteriologia, imunologia e saúde pública. Trabalhou intensamente na ajuda aos feridos na 1ª Guerra Mundial, onde pode observar como os pacientes reagiam de forma diferente diante das enfermidades. Em 1919, Edward Bach passou a trabalhar como patologista e bacteriologista no Hospital Homeopático de Londres, onde se dedicou intensivamente a estudar a obra do fundador da homeopatia, Hahnemann. Assim, Bach, como é chamado, decidiu preparar suas vacinas com a técnica homeopática, criando vacinas orais que tiveram e tem até hoje ampla aceitação no meio médico. Já em 1929, no auge do seu êxito profissional, Bach abandonou as suas atividades na cidade e partiu para o campo, em busca de novos remédios. Onde, entre 1930 e 1934, ele descobriu 38 essências florais e escreveu seus fundamentos para uma nova medicina: “A Medicina Vibracional”. De volta à civilização, verificou a eficácia dos medicamentos e compreendeu a grande ajuda que poderiam dar à humanidade doente. Em 1936, Bach, disse a seus colaboradores: “Minha tarefa está cumprida; minha missão neste mundo está terminada.” Poucas semanas depois, enquanto dormia, Bach faleceu. Passados 50 anos após a sua morte surgiu o segundo sistema floral no mundo, e a partir daí não parou mais. Hoje são milhares de sistemas de florais que existem no mundo: Florais de Bach, de Minas, Australianos, Californianos, Joel Aleixo, Saint Germain, do Sul, da Amazônia, dentre diversos outros.

Mas vocês devem estar se perguntando: como é feita a essência floral? As flores escolhidas não podem de forma alguma conter poluição (devem ser silvestres). Escolhida a flor, a essência deve ser coletada em um dia ensolarado, sem nuvens no céu, no período da manhã. A flor deverá ser cortada com uma tesoura de cristal e ser emersa em uma bacia também de cristal, com água pura e cristalina. Emersa, ela energiza a água. Depois de algum tempo, a flor é retirada da água energizada e levada ao laboratório para passar pelas devidas análises físicas e químicas. Acrescenta-se um conservante que é o conhaque (ele fixa a energia da flor na água), e depois é diluída novamente em pequenos frascos, chegando até as farmácias de manipulação, onde é novamente diluída, chegando até você.

Cada flor tem a capacidade de equilibrar as qualidades da alma, por exemplo, se você tem muito medo, irá utilizar o floral da flor Mimosa, a qual proporciona coragem; se você sente-se inseguro a essência sugerida é a lavandula da flor da Lavanda, a fórmula do exame é indicada para qualquer situação que exige coragem, confiança, segurança, autocontrole, concentração e tranquilidade. O tratamento com a terapia floral resgata a autoestima, a autoconfiança e a coragem para vencer novos desafios. É importante deixar claro que o tratamento com terapia floral não substitui o tratamento da medicina convencional, agindo como terapia complementar. Seus resultados podem ser sentidos logo nos primeiros dias. Para uma indicação mais específica procure um Terapeuta Floral.

“Cultive o seu jardim interior e deixe que as borboletas cheguem até você!”

Nuvem de tags

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 367 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: